terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Como fazer o diagnóstico da sua empresa

Conhecemos muitos empresários que se sentem frustrados com lucros baixos, com a falta de crescimento, ou com o stress de exigências sem fim​​. Muitos lutam com todos os três casos.

Embora cada empresa seja diferente, existem pontos comuns em todas elas.

Basta ter falta de controlo num desses pontos comuns para que isso possa resultar num desempenho medíocre, numa existência de tensão contínua ou no fracasso total. Essa é uma razão porque a taxa de fracasso das pequenas empresas é tão alto. 

Se não está satisfeito com o desempenho da sua empresa, reveja esta lista:


Marketing


  • Segmentação - Tem uma estratégia para alcançar os melhores clientes potenciais através dos seus esforços de vendas e marketing? Uma abordagem não planeada fica muito cara e é ineficiente para qualquer empresa, especialmente uma que seja pequena. Qual é a percentagem dos potenciais clientes que contacta que realmente compram o seu produto ou serviço?
  • Publicidade e Relações Públicas -. Existem muitas opções para colocar um anúncio ou como executar uma campanha de relações públicas. O problema de muitas pequenas empresas é que suas actividades de marketing são dependentes principalmente do contacto de vendedores que as contactam para aderirem a algo usual. Qualquer forma de publicidade ou de relações públicas que se tornem ineficazes podem ser não somente um desperdício de dinheiro, mas também um desperdício de oportunidade. Se não planeia a sua comunicação, se está a actuar como fazia há dez anos atrás, provavelmente está cada vez mais com piores resultados.
  • Mensagem - Muitas empresas ainda usam esta linha: "Vamos exceder as suas expectativas." Foi uma boa linha quando foi pensada pela primeira vez. Agora, ela já é velha e demasiado batida. É uma linha cansada e que precisa de ser reformada. A sua empresa precisa de exceder as expectativas dos seus clientes com a sua própria mensagem de características únicas. Talvez não seja uma só linha. Talvez seja uma mensagem mais completa. Seja o que for, ela deve dizer algo sobre a sua empresa que tenha significado para os seus clientes potenciais.


Gestão


  • Recrutamento - Não há nada mais importante do que contratar as pessoas certas. Recrutar as melhores pessoas é uma habilidade que não é inata do empreendedor típico. A sua empresa tem uma metodologia de recrutamento? O recrutamento por tentativa e erro é uma maneira muito cara e dolorosa de construir uma equipa. O recrutamento das pessoas certas depende muito de uma boa gestão. Qual a percentagem de pessoas que contrata que funcionam bem? Este valor costuma estar entre os 80% e 90%, e diminui consideravelmente num ambiente de baixa remuneração.
  • Despedimentos -. Este é um assunto pouco agradável, e é especialmente desconfortável nos dias de hoje. Mas na realidade dos negócios, algumas pessoas simplesmente não se conseguem adaptar a alguns trabalhos específicos, como por exemplo vender. Muitos patrões evitam despedir a todo custo, deixando-se ir até à falência, porque querem manter uma imagem de "boa gente". Na realidade, tanto os seus clientes como os outros funcionários competentes apenas irão avaliar essa atitude como irresponsável. Existe um teste simples: Tem pessoas que trabalham para si, sobre as quais se sentiria aliviado se não viessem trabalhar amanhã e decidissem deixar a empresa? Se a resposta for sim, isso não é um bom sinal, especialmente se o empregado é um familiar.
  • Operacionalidade - Formação, normas, apoio, reconhecimento, sistemas, indicadores chave de desempenho, acompanhamento, etc. A sua empresa está a atingir os objectivos planeados? Os seus clientes estão satisfeitos? Tem a certeza? Qual é a rotatividade dos seus funcionários? Eles estão contentes e felizes por trabalharem na sua empresa? Será que eles o informam se não estiverem satisfeitos? Trabalha com pessoas que lhe dizem a verdade dos factos? Grita com o seu pessoal? Tem casos de bons colaboradores que deixaram a sua empresa para ir ganhar mais dinheiro num concorrente? Isso é frequentemente uma indicação de outros problemas latentes.


Contabilidade e Finanças


  • Contabilidade - Muitas empresas aparentemente bem sucedidas entraram em apuros por terem negligenciado a informação da contabilidade até ter sido tarde demais. A contabilidade não é apenas para tratar do pagamento dos impostos. Trata-se de informação, percepção e controlo. Uma boa contabilidade não vai tornar o seu negócio bem sucedido, mas uma contabilidade descuidada pode destruir qualquer negócio. Tem alguém a controlar os clientes a receber, a avaliar o risco da abertura de novas contas a crédito e a verificar que as contas existentes estão em dia? Consegue disponibilizar as suas contas para uma auditoria imprevista? Consegue através das suas demonstrações financeiras explicar a situação actual da sua empresa?
  • Preços -  Esta é provavelmente uma matéria adormecida. Quantas vezes já vimos empresários, que se colocam fora do negócio, ou que nunca conseguem fazer o dinheiro que deveriam, por causa de más políticas de preços, ou pelas ausência delas? Cobram preços que não têm qualquer relação com os custos ou com a proposta de valor. Esta é uma das razões que justifica que a empresa tenha uma contabilidade com precisão - para que possa determinar o verdadeiro custo de um produto ou serviço. Os seus vendedores podem flexibilizar os preços nas propostas que entregam aos clientes? Se têm flexibilidade, eles vendem a um preço que permite que haja lucro?
  • Financiamento - A maioria das empresas precisa de algum tipo de financiamento. Quer ele seja proveniente de investidores, bancos, cooperativas de crédito, factoring ou até mesmo de cartões de crédito, existe muito a conhecer e a entender nesta área. Esta é outra situação em que uma boa contabilidade pode ser de grande ajuda. Ou não. Se tiver simplesmente um contabilista que trata das suas declarações de impostos ou dos salários do seu pessoal e não tiver alguém experiente em ajudar empresas a crescer e a obter bons resultados, talvez possa procurar muita informação em livros e documentos online sobre como gerir bem uma empresa. Mas em alternativa pode contratar um consultor competente para o ajudar. Eis um teste: Você sabe qual é o rácio de solvabilidade (capital próprio / passivo total) da sua empresa?


Liderança

  • Qualquer um dos tópicos acima apresentados dará para escrever mais um livro sobre o assunto, mas a liderança também não é excepção. Pensemos em várias relações: visão, direcção, inspiração, suporte. São semelhantes à gestão, mas não são a mesma coisa. Nas empresas grandes que têm crescimento consistente, a liderança fica facilitada quando existem vários níveis de gestão. Numa empresa pequena, o chefe tem de gerir e liderar. O patrão tanto está a escrever uma carta para alguém que violou a política de créditos, como de seguida está a tentar inspirar as tropas. Talvez gestão seja empurrar e liderança seja puxar. Não é fácil fazer os dois movimentos ao mesmo tempo.


Caso esteja bem ou mal pontuado nesta lista, tenha em mente que é uma luta contínua. Os empresários de sucesso estão constantemente a lutar com quase todos os itens desta lista.

E você como faz?


saber mais

Alfredo Simões
Consultor de empresas

Por favor, deixe-me saber a sua opinião na secção de comentários abaixo.

Sem comentários:

Publicar um comentário