terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Mensagem de Ano Novo 2014

Mensagem de Ano Novo 2014


Quero esquecer o ano 2013:

  • Quero esquecer o aumento de impostos que suportamos sem ver resultados na melhoria do país;
  • Quero esquecer o flagelo do desemprego que pôs tantas famílias na miséria;
  • Quero esquecer o aumento da pobreza que levou tanta gente a recorrer à sopa dos pobres;
  • Quero esquecer as empresas insolventes que puseram trabalhadores no desemprego e tiveram de ficar a dever aos seus fornecedores;
  • Quero esquecer as pessoas insolventes que perderam o tecto que as abrigava;
  • Quero esquecer todas as pessoas que foram insensíveis a estas situações e as más pessoas que tropeçaram na minha vida.

Acreditemos nos sinais de esperança para 2014:
  • A recuperação da Irlanda sinalizada pelo fim do resgate;
  • A afirmação da Grécia de que não precisa de outro pedido de ajuda;
  • A saída da Espanha do resgate aos bancos, hoje anunciada;
  • As próximas eleições europeias que são a ferramenta para correr com a incompetência na Europa;
  • As postura do Papa Francisco na sua preocupação com os mais pobres e mais desfavorecidos.

Lutemos pelo combate ao desemprego:
  • Temos de aceitar que os capitalistas não estão interessados em criar emprego porque estão focalizados na especulação financeira e bolsista;
  • Temos de ter iniciativa individual para criar o nosso próprio emprego e não ficar à espera do fim do subsídio de desemprego;
  • Temos de criar pequenas empresas baseadas nos nossos gostos e competências pessoais pois a degradação do Estado Social cria oportunidades de concorrência saudável;
  • Precisamos de ajudar os vizinhos e os amigos que já tiveram a coragem de iniciar um negócio em vez de entregar o nosso pouco dinheiro aos monopólios de pessoas que não se preocupam com o nosso povo;
  • Temos de criar parcerias com pessoas que complementam os nossos conhecimentos. Sozinhos não somos nada. Juntos temos o mundo na mão.

Temos de valorizar a família:
  • A principal missão que temos neste mundo é educar e formar a geração seguinte, mesmo que ela não queira;
  • Temos de passar o nosso conhecimento e os nossos valores aos nossos filhos e netos;
  • Temos de ultrapassar esta situação demográfica de envelhecimento e diminuição da população;
  • A garantia de um futuro melhor está na mão dos nossos filhos e netos.

Haja amor!

BOM ANO NOVO.

Por favor, deixe-me saber a sua opinião na secção de comentários abaixo.


Sem comentários:

Publicar um comentário